segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

CARTA DOS FÓRUNS ESTADUAIS E PERSPECTIVAS PARA O NOVO GOVERNO

Fóruns Permanentes de Educação e Diversidade Etnico estiveram reunido em Brasilia nos dia 09e 10 de dezembro e contruiram  um documento seguir o texto aprovado:
"CARTA DOS FÓRUNS ESTADUAIS E PERSPECTIVAS PARA O NOVO GOVERNO





O espaço construído pelos Fóruns Estaduais na consolidação da implementação da Lei 10.639/03, destaca-se pela sua criação e fortalecimento de um espaço onde possamos construir e reforçar caminhos que contribuam para o diálogo, a troca de experiências e vivências, buscando explorar o advento de uma convivência que reconheça que todos estão intrinsecamente interligados numa causa coletiva.

Neste sentido as ações de políticas afirmativas, que reparam a invisibilidade e legitimam espaços de atuação reivindicatória e valorização da cultura afrobrasileira, enquanto iniciativas históricas de organizações não governamentais e grupos que compõem o movimento negro, conduziram à reconstrução de uma educação que busca contemplar a diversidade etnicorracial e superar a visão eurocêntrica que exclui a cultura, a história e valores civilizatórios africanos e afrobrasileiros.

A aprovação pelo Governo Lula da Lei nº. 10.639/03, que obriga os sistemas de ensino a incorporarem a temática de História e Cultura Afrobrasileira, foi um marco histórico para a população afro-brasileira. Não obstante a isso, a efetiva implementação da Lei é que tem sido barrada continuidade do racismo estrutural e institucional em todo país.

Neste sentido, a presente CARTA registra interpretações, anseios, demandas e proposições de eqüidade para efetiva valorização da diversidade racial em nosso Estado e no País, como política pública educacional.



Neste sentido constatamos política nefasta contra a efetiva implementação da Lei 10.639/03:



1) A evasão escolar mais acentuada entre estudantes afrobrasileiros, provocada pela falta de identificação dos valores simbólicos culturais dos alunos relacionados ao cotidiano escolar;

2) Na formação do/a educador/a, falta de comprometimento institucional e a omissão dos governos estaduais, e de municípios, reforçando a manutenção de uma educação eurocêntrica;

3) Falta de oportunidades e pouco acesso dos docentes a discussões acerca da aplicação da Lei 10639/03 em todas as disciplinas, garantindo a transversalidade nas disciplinas;

4) Carência de infra-estrutura para implementação da Lei 10.639/03 - material didático específico e recursos humanos capacitados;

5) Falta de comprometimento efetivo dos Conselhos Estaduais e municipais de Educação na fiscalização da efetiva implementação da Lei 10.639/03;

6) Falta de orçamento direcionado à implementação da 10.639/03, nos níveis federal, estadual e municipal;

7) Desarticulação entre as instâncias públicas e privadas (federais, estaduais e municipais) na efetiva implementação da Lei 10.639/03, que foi aprovada a mais de sete anos;

8) Inexistência de disciplina específica e obrigatória nos cursos de licenciatura que dê formação para o ensino de Literatura, História e Cultura Afrobrasileira e Africana, sem qualquer intervenção do MEC ou do CNE;

9) Limitação do conhecimento da Lei 10.639/03 em face da pouca divulgação nas instituições de ensino como um todo;

10) Permanência ainda de um Currículo eurocêntrico e universalista, sem contar com as ações de várias religiões, não abordando o ensino laico no Brasil.



A partir destas inúmeras constatações, propomos:



1) Comprometimento e envolvimento real dos (as) gestores (as), em todos os níveis, federal, estadual e municipal, e também a nível de conselhos, para que atuem efetivamente na implementação da Lei 10.639/03;

2) Fortalecer a criação de Políticas Públicas de ações afirmativas voltadas para valorização da diversidade etnicorracial, dentro da escola, conforme a Lei 10.639/03, o Parecer CNE/CP 003/2004 e a Resolução CNE/CP 1/2004;

3) Disseminação, junto aos estados e municípios, de programas de formação inicial e continuada de gestores (as) de ensino e professores (as) em parcerias com o MEC, IES e demais instituições, utilizando meios eletrônicos, correios e outros, presenciais e à distância, envolvendo todos os sistemas de ensino (público e privado);

4) Realizar formação da comunidade escolar – todo corpo docente, discente e funcionários técnico/administrativos - especialmente dos Conselhos Escolares para resgate da identidade afrobrasileira e africana;

5) Capacitação de professores/as de todas as áreas para implementação da Lei 10.639/03, definindo metodologias de ensino, nas diversas linguagens e em todas as áreas de conhecimento;

6) Produção e divulgação de materiais didáticos: cartilhas, jornais, vídeos, CD’s, DVD’s, livros, jogos, bem como apoio a projetos de pesquisa que propiciem a produção desses materiais em todo país;

7) Obrigatoriedade da inclusão da Lei 10639/03 nos Projetos Político Pedagógicos das escolas, através de ações dos Conselhos Estadual e Municipais de Educação, com previsão de sanções a todas as escolas e secretarias que insistem em não implementar a Lei;

8) Estabelecer uma rede de comunicação permanente e específica entre o Ministério da Educação, as Secretarias de Educação (Estadual/Municipais), osFórum Permanentes de Diversidade;

9) Divulgar as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Etnicorraciais e para o Ensino de Literatura, História e Cultura AfroBrasileira e Africana” nos meios de comunicação;

10) Legitimar a grande experiência e o conjunto de conhecimento produzido e acumulado pelo movimento negro, conforme o Parecer CNE/CP 003/2004;

11) Desenvolver propostas de reformulação curricular com base na diversidade enunciada pela Lei, interagindo para a implementação de um currículo plural em todas as instâncias de ensino (publico e privado).

12) Fortalecer a ação dos Fóruns Estaduais Permanentes de Educação e Diversidade Etnicorracial através do seu reconhecimento como instituição legítima, para a coordenação dos esforços, iniciativas e ações na direção do estabelecimento do previsto na Lei 10.639/03, no Parecer CNE/CP 003/2004 e na Resolução CNE/CP 1/2004, em articulação com os poderes públicos e com a sociedade civil;



São signatários desta carta, todos os Fóruns que participaram do Seminário Nacional de Avaliação da Implementação das DCNs



Brasília, 10 de dezembro de 2010.



Fóruns Estaduais Permanentes de Educação e Diversidade Etnicorracial"







quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Seminario de Avaliação dos Fóruns






Houve o histórico lançamento da “COLEÇÃO HISTÓRIA GERAL DA AFRICA’ da UNESCO com a participação do Ministro da educação Fernando Hadaad, SEPPIR, MINC e outras autoridade. A Coleção está disponível nos sítios: www.unesco.org./brasilia/publicacoes; www.mec.gov.br/publicacoes.



Avaliação do Plano Nacional de implementação belissimo cartaz do Forum de Góias


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Encontro de Formação na Escola Estadual Lindembergue Cardoso

Como Martim Pescador:
Direção, Coordenação, Funcionários e  Professor(a)es da Esc Est Lindembergue Cardoso, estamos  esperando a hora de pescar. assim com este Martin Pescador do Dique do Tororó estamos esperando a hora. E será: Dia 16/12/2010, ás 09hs haverá a formação UFBA X NTE X Escola Estadual Lindembergue Cardoso
É AGORA GALERA!

Projeto UCABAHIA, formação no IAT com a UFBA e as experiências exitosa do país.

 Professora Leá na Formação do UCA no Instituto Anisio Teixeira
 Alunos professores possam com o metasys
 Os alunos (professore) experimentadores absorvem o conteudo.
Professora Elisabth fazendo sua exposição.
UFBA, SEC/NTE, ESCOLAS, PROFESSORES em mais uma etapa da formação UCABAHIA

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Intolerância Religosa na Bahia

Iléus foi palco mais uma vez de atitude de intolerância religiosa, peço a todos que encaminhe este email as autoridades competentes para ações adminiwstrativas contra os perpetrantes de atos.
Convido a todos para participarem da audiência pública dia 26/11/2010 na cidade de Iléus para apuração dos fatos.
Violência, racismo e intolerância da PM em Ilhéus
exigem ação pública


I - Da Constituição de 1988.
Art.5º, VI- é inviolável a liberdade de consciência e crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias.
O inciso VIII estatui que ninguém será privado de seus direitos por motivo de crença religiosa.
II - Do Código Penal.
Título V, Cap. I, Dos Crimes contra o Sentimento Religioso:to contra a Intol.e
Ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo
Art.208 do CP - Escarnecer de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa, impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso, vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
Detenção - 1mês a 1ano, ou multa.
Parágrafo Único. Se há emprego da violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.

Manifesto contra Intolerância religiosa

Ao
Secretário de Segurança Pública do Governo do Estado da Bahia, Antonio Cesar Fernandes Nunes
Secretária da Casa Civil do Governo do Estado da Bahia, Eva Maria Chiavon
Secretária da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Estado da Bahia, Luciana Tannus da Silva
Secretária de Promoção da Igualdade do Governo do Estado da Bahia, Luiza Bairros
Secretária de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Governo do Estado da Bahia, Arany Santana Neves Santos

Queremos expressar, como cidadãs e cidadãos do Brasil e de outros países solidários, nossa indignação e pedido de providências com relação aos fatos a seguir relatados, que denunciam episódios de violência que agridem vários direitos humanos e, em especial, a liberdade religiosa:
RACISMO, INTOLERÂNCIA RELIGIOSA, VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, ABUSO DE AUTORIDADE E TORTURA
Sábado dia vinte e três de outubro de 2010, por volta das 14hs, um pelotão da Polícia Militar da Bahia invadiu o assentamento D. Helder Câmara, em Ilhéus, levando a comunidade de trabalhadores e trabalhadoras rurais a viverem um momento de terror, tortura e violência racial.
Os fatos: A coordenadora do assentamento e sacerdotisa (filha de Oxossi) Bernadete Souza, questionou sobre a ilegalidade da presença do pelotão da Polícia Militar na área do assentamento, por ser este uma jurisdição do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e, portanto, a polícia sem justificativa e sem mandato judicial não poderia estar ali; menos ainda, enquadrando homens, mulheres e crianças, sob mira de metralhadoras, pistolas e fuzil, o que se constitui numa grave violação dos Direitos Humanos. Diante deste questionamento, o comandante alegando "desacato a autoridade" autorizou que Bernadete fosse algemada para ser conduzida à delegacia. Neste momento o orixá Oxossi incorporou a sacerdotisa que, algemada, foi colocada e mantida pelos PMs Júlio Guedes e seu colega identificado como "Jesus", num formigueiro, onde foi atacada por milhares de formigas provocando graves lesões, enquanto os PMs gritavam que as formigas eram para "afastar satanás". Quando os membros da comunidade tentaram se aproximar para socorrê-la um dos policiais apontou a pistola para cabeça da sacerdotisa, ameaçado que se alguém da comunidade se aproximasse ele atiraria. Spray de pimenta foi lançado contra os trabalhadores. O desespero tomou conta da comunidade. Crianças choravam e idosos passavam mal. Enquanto Bernadete (Oxossi), algemada, era arrastada pelos cabelos por quase 500 metros e em seguida jogada na viatura, os policiais numa clara demonstração de racismo e intolerância religiosa, gritavam "fora satanás"! Na delegacia da Polícia Civil, para onde foi conduzida, Bernadete ainda incorporada e bastante machucada, foi colocada algemada em uma cela onde havia homens, enquanto policias riam e ironizavam que tinham chicote para afastar "satanás", e que os Sem Terras fossem se queixar ao Governador e ao Presidente.
A delegacia foi trancada para impedir o acesso de pessoas solidárias a Bernadete, enquanto os policias regozijavam-se, relatando aos presentes que lá no assentamento além dos ataques a Oxossi (incorporado em Bernadete), também empurraram Obaluaê manifestado em outro sacerdote, atirando o mesmo nas máquinas de bombear água. Os policias militares registraram na delegacia que a manifestação dos orixás na sacerdotisa Bernadete se tratava de insanidade mental.
A comunidade D. Hélder Câmara exige Justiça e punição rigorosa aos culpados e conclama a todas as Organizações e pessoas comprometidas com a nossa causa.
Contra o racismo, contra a intolerância religiosa, contra a violência policial, contra a violência à mulher, pela reforma agrária e pela paz.
Informe produzido pelo Projeto de Reforma Agrária D. Hélder Câmara e pelo Terreiro Ylê Axé Odé Omí Wa.
Demonstre a sua indignação enviando este manifesto para os e-mails das autoridades do Governo de Estado da Bahia, relatadas acima:

cesarnunes@ssp.ba.gov.br, eva.chiavon@casacivil.ba.gov.br, faleconosco@sjcdh.ba.gov.br, sec.sepromi@sepromi.ba.gov.br, sedes@sedes.ba.gov.br

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Primeira aula de formação do UCA Bahia

No dia 22/10/2010 no Instituto de Formação Anísio Teixeira da SEC ocorreu o 1º encontro de formação dos professores das unidade escolares que vão participar da etapa terceira do projeto UCA.
Sobre a coordenação do Prof. Dr. Nelson Preto e da equipe da Faculdade de Educação da UFBA/GEC(Grupo de Educação Comunicação e Tecnologia) com a participação do IAT, dos NTEs, vários gestores e professores. Num clima de grande espectativa realizou-se estas primeiras

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Reunião para formação do UCA Bahia

Acontece hoje no IAT (Instituto Anbisio Teixeira) da SEC - BA, a primeira reunião para formação de professores do projeto UCA a expectativa é grande.
A capacitação será dada pelo Prof. Nelson Preto da UFBA.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Queimada da farinha

As irmas maria de Lourdes e Maria Angelica cantam a queimada da farinha

sábado, 11 de setembro de 2010

Oficina geogrefia Afrobrasileira

COORDENAÇÃO COLEGIADA
FEDERBA - Fórum Permanente de Educação e Diversidade Étnico Racial - BA
Para implementação da Lei 10.639/03
Tels (71) Milena Nascimento 87161336/ Ademario Sena 99168958 / Zeny Silva 87745305 / Kleber Rosa 81457150.
Blog: http://federba.blogspot.com /
E-mail: fórum.diversidade.ba@gmail.com



Apresentação

O Projeto Geografia Afro-Brasileira: Educação e Planejamento do Território tem, como principal objetivo, caracterizar e interpretar espacialmente as estruturas existentes na formação do Brasil e da sua população, tomando como referência os aspectos geográficos da herança africana no território brasileiro. A premissa é ampliar as informações, a discussão e fornecer elementos para o conhecimento do espaço brasileiro na perspectiva das matrizes oriundas da África. O Projeto tem um plano de atividades e fases preconizadas e as Oficinas Itinerantes constituem um dos seus principais componentes.

Justificativa

A Oficina Temática: A África, o Brasil e os Quilombos – Heranças Geográficas, busca trazer elementos para colaborar na construção de uma outra, territorialidade da população de matriz africana brasileira, a partir de “ferramentas educacionais” onde o/a professor/A dos distintos níveis formais de ensino possam alterar suas práticas no processo de transmissão dos conteúdos de Geografia e de História (do Brasil e da África), assim como de questões afro-brasileiras. Utiliza, como instrumento básico de trabalho, os recursos das imagens cartográficas e fotográficas, pela sua possibilidade de ser eficiente na transmissão de conteúdos historiográficos e contemporâneos. Por outro lado, as demandas para compreensão das complexidades da dinâmica da sociedade são grandes e existem poucas disciplinas mais bem colocadas que a geografia e a cartografia para explicar as inúmeras indagações do que aconteceu, do que está acontecendo e do que pode acontecer no espaço geográfico. Dessa forma, o objetivo básico desta oficina, é realizar um programa de educação, de aspectos fundamentais da Geografia Afrobrasileira junto a: professores/as, estudantes no final da Graduação, Pós-Graduandos (se for pertinente, poderão se inscrever lideranças comunitárias e representantes de entidades afrobrasileiras) em algumas capitais brasileiras de relevância no registro de territórios quilombolas contemporâneos e de contingente demográfico significativo de matriz africana.

Construção do Evento
Nádia Cardoso (SEC – Coordenadora da Coordenação de Educação para as Relações Étnico Raciais e Diversidade),
Jaqueline Santana, Carla Lemos, Vilma Bomfim (SEC/CERERD)
Ademàrio Sena (`prof da rede estadual de ensino e coordenador estadual do FEDERBA)
FÓRUM PERMANENTE DE
EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE ETNICORRACIAL DA BAHIA

Projeto Geografia Afro-Brasileira:
Educação e Planejamento do Território
Expositor (Prof Rafael Sanzio)


A irmandade da Boa Morte exemplo de Resistência

Data: 13 a 18 de setembro de 2010 – 8:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h
Local: Universidade Estadual da Bahia
Rua Estrada das Barreiras – Dept° de Educação sala 01, bairro do Cabula – Salvador - Bahia
Contatos: 71-3115-1413 /711-3115-1310 (Nádia, Jaqueline, Vilma - SEDUC) - Ademário Sena (Federba71 -9916-8958)

e-mail: forum.diversidade.ba@gmail.com
http://federba.blogspot.com/
Objetivos
- Contribuir efetivamente com informações sistematizadas para trazer à luz uma África e um Brasil como entidades históricas;
- Divulgação e estímulo para a elaboração de material didático com indicações para o/a professor/a alterar sua prática no processo de ensino e aprendizagem nos conteúdos de Geografia (do Brasil e da África).

Conteúdos Programáticos
Módulo I – Nivelamento da turma sobre conceitos geográficos e cartográficos;
Módulo II – Trabalho com os dez eixos temáticos do material didático de referência/Preparação de um roteiro de aula consubstanciado (início, meio e fim e os matérias e estratégias de ensino);
Módulo III – Elaboração de um trabalho final sobre os sítios e referências dos quilombos contemporâneos na sua região e/ou estado.
SUPERINTENDENCIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA- SUDEB
DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E SUAS MODALIDADES – DIREM

COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E DIVERSIDADE

Salvador, setembro de 2010.



Tendo em vista a realização da Oficina temática “Projeto Geografia Afro-Brasileira: Educação e Planejamento do Território”, de autoria do Prof. Dr. Rafael Sanzio (UNB), entre os dias 13 a 18 de setembro de 2010, das 08:00 às 17:30 h, na Sala 01 do Departamento de Educação do Campus I da Uneb, cito a Estrada das Barreiras, no Bairro do Cabula (Salvador-BA),. Temos a Honra de convidar: professores, coordenadores, estudantes, Quilombolas e a comunidade

Informamos que será disponibilizado material didático e certificado de participação de 40 horas.
Agradecemos, antecipadamente, sua colaboração e participação.


Atenciosamente,



Prof. Jaqueline Santana
Técnica SEC-Ba- Coordenação de Educação das Relações Étnico-raciais e Diversidade

Prof. Ademário Sena
Professor da rede estadual de Ensino / Coordenador Estadual do FEDERBA



FORUM DE EDUCAÇÃO PERMANATNTE E DIVERSIDADE ETNICO RACIAL BAHIA PARA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.639/2003

PROJETO GEOGRAFIA AFRO-BRASILEIRA:
EDUCAÇÃO & PLANEJAMENTO DO TERRITÓRIO
cartografia@unb.br / www.unb.br/ih/ciga


FICHA DE INSCRIÇÃO



NOME:__________________________________________________________________

FORMAÇÃO PROFISSIONAL: ___________________________________________

INSTITUIÇÃO:__________________________________________________________

ENDEREÇO COMERCIAL:_______________________________________________
________________________________________________________________________


ENDEREÇO RESIDENCIAL:______________________________________________
________________________________________________________________________

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL:__________________________________________
________________________________________________________________________

E-mail/ TEL. / FAX.:______________________________________________________


EXPRESSE O MOTIVO DO SEU INTERESSE NA OFICINA EDUCACIONAL:
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Oficina Temática: A África, o Brasil e os Quilombos – Heranças Geográficas do Projeto Geografia Afro-Brasileira: Educação e Planejamento do Território

Acontecerá no Campos da UNEB -- Estradas Barreiras Cabula, Deptº de Educação Sala 01 em Salvador - Bahia
Oficina Temática: A África, o Brasil e os Quilombos – Heranças Geográficas do Projeto Geografia Afro-Brasileira: Educação e Planejamento do Território – Com o Professort Rafael Sanzio UNB
Período de 13 à 18 de setembro de 2010
Horário das 08hs ás 18 hs.
Obs.: O almoço correrá por conta de cada participante
Solicitamos de todos a divulgação, as últimas inscrições ainda podem ser feitas pelo telefone da Secretaria estadual de Educação (71) 3115-1413 0u 1310, os participantes receberão certificado

SUPERINTENDENCIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA- SUDEB
DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E SUAS MODALIDADES – DIREM

COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E DIVERSIDADE

Salvador, 09 de setembro de 2010.



Tendo em vista a realização da Oficina temática “A África, o Brasil e os Quilombos – Heranças geográficas”, de autoria do Prof. Dr. Rafael Sanzio (UNB), entre os dias 13 a 18 de setembro de 2010, das 08:00 às 17:30 h, na Sala 01 do Departamento de Educação do Campus I da Uneb (Salvador), vimos, por meio desta, disponibilizar 10 (dez) vagas para serem destinadas a docentes dessa instituição.

Informamos que será disponibilizado material didático e certificado de participação de 40 horas.
Agradecemos, antecipadamente, sua colaboração.


Atenciosamente,



Prof. Jaqueline Santana
Técnica SEC-Ba- Coordenação de Educação das Relações Étnico-raciais e Diversidade

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

O Programa Um Computador por Aluno - PROUCA, tem como objetivo ser um projeto Educacional utilizando tecnologia, inclusão digital e adensamento da cadeia produtiva comercial no Brasil. Chega ao subúrbio de Salvador ao Colégio estadual Lindembergue Cardoso no bairro do Rio Sena em 27.08.2010






Programa Um Computador por Aluno - PROUCA, chega ao Colégio Estadual Lindembergue Cardoso






Programa Um Computador por Aluno - PROUCA
Objetivos - O Programa Um Computador por Aluno - PROUCA, tem como objetivo ser um projeto Educacional utilizando tecnologia, inclusão digital e adensamento da cadeia produtiva comercial no Brasil.
Quando começou? -

O projeto OLPC foi apresentado ao governo brasileiro no Fórum Econômico Mundial em Davos - Suíça, em janeiro de 2005. Em junho daquele ano, Nicholas Negroponte, Seymour Papert e Mary Lou Jepsen vieram ao Brasil especialmente para conversar com o presidente e expor a idéia com detalhes. O presidente não só a aceitou, como instituiu um grupo interministerial para avaliá-la e apresentar um relatório.

Após reuniões com especialistas brasileiros para debates sobre a utilização pedagógica intensiva das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) nas escolas, foi formalizada uma parceria com a FacTI (Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação) – FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) para a validação da solução da Organização OLPC, proposta originalmente pelo MIT.

Em Fevereiro de 2006 a FacIT chamou mais três instituições para integrar o grupo técnico e fazer um estudo sobre a solução OLPC:

* CenPRA – Centro de Pesquisa Renato Archer;
* CERTI – Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras e
* LSI – Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico.

Durante o ano de 2007 foram selecionadas 5 escolas, em cinco estados, como experimentos iniciais, em São Paulo-SP, Porto Alegre-RS, Palmas-TO, Piraí-RJ e Brasília-DF.
Como funcionará? -

Em Janeiro de 2010 o consórcio CCE/DIGIBRAS/METASYS foi dado como vencedor do pregão nº 107/2008 para o fornecimento de 150.000 laptops educacionais a aproximadamente 300 escolas públicas já selecionadas nos estados e municípios.

Cada escola receberá os laptops para alunos e professores, infraestrutura para acesso à internet, capacitação de gestores e professores no uso da tecnologia.

Seis municípios serão atendidos como UCA Total, onde todas as escolas serão atendidas pelo projeto.
UCA Total -

Por iniciativa dos governos Federal, Estaduais e Municipais, o projeto será replicado em seis municípios brasileiros, que terão todas as suas escolas atendidas, onde são chamadas de UCA Total. Os municípios selecionados são:

* Barra dos Coqueiros/SE;
* Caetés/PE;
* Santa Cecília do Pavão/PR;
* São João da Ponta/PA;
* Terenos/MS;
* Tiradentes/MG

GTUCA -

GTUCA - Grupo de trabalho do Programa UCA.

O grupo é formado por especialistas no uso de TICs (Tecnologia da Informação e Comunicação) na educação. Para execução do projeto dividiu-se em três frentes:

* GT Formação;
* GT Avaliação e;
* GT Pesquisa.


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Comício de Dilma em Salvador

A futura presidente do país Dilma Roseft esteve em Salvador, para aquecer mais a militância, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, é treze, assista o video

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Manifestação pelo pagamento da URV

Fotos da manifestação pela URV,é necessário ativar os professores e presionar os setores




Manifestação pelo pagamento da URV

Professores da rede estadual fazem manifestação pela URV em frente ao fórum, é necessário ainda mais pois faz imprescindível a criação de dotação orcamentária negociar com a Assembléia Legislativa e o executivo estadual

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Festa da Irmandade da Boa Morte

A Irmandade bi-centaria da Boa Morte faz sua procissão, despejando fé, um rito que segue mais de 200 anos. Viva a Irmandade da Boa Morte e salve o povo de Cachoeira pela sua sabedoria e luta.




IIª aula pública revolta dos búzios 212

IIª aula pública revolta dos búzios 212
Aconteceu na Praça da Piedade em salvador: Da Revolta Búzios a Revolta da Chibata, uma Homenagem da CONEN - Coordenação Nacional de Entidades Negras os hérios dos Búzios. Parabéns todos que se empenharam nesta construção



quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Aula Pública da Revolta dos Búzios a Revolta da Chibata

COORDENAÇÃO NACIONAL DE ENTIDADES NEGRAS
FUNDADA EM 17 DE NOVEMBRO DE 1991
AMERICA DO SUL-BRASIL
“UNIDADE NA DIVERSIDADE”

AULA PÚBLICA
LOCAL PRAÇA DA PEIDADE
DATA 12 DE AGOSTO
PROGRAMAÇÃO
14:00 ÀS 15 :00
RECITAL DE POESIAS
15:00 ÀS 15:30
1º AULA SOBRE A REVOLTA
15:30 ÀS 15:45
COLOCAÇÃO DE CORBELIA DE FLORES NOS BUSTOS DOS HEROIS
15:45 ÀS 16:00
LEITURA COLETIVA DO MANIFESTO HISTÓRICO DA REVOLTA
16:00 ÀS 16:30
2º AULA SOBRE A REVOLTA
16:30 ÀS 17:00
PERGUNTAS E INTERAÇÃO SOBRE O TEMA
17:00 ÀS 18:00
APRESENTAÇÕES DO Grupo de RAP NOVA SAGA
18:00 ÀS 18:30
PRONUNCIAMENTOS FINAIS
ENTREGA DE CERTIFICADOS – ENCERRAMENTO
Cordialmente,
Ademário Sena
(71 9916-8958 – 3266-0790) Rua 21 de Abril n° 82/84 Edf. Alta Bahia, 5º Andar – Centro – SSA – BA.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Poesia do professor Mario Henrique de Santana

Prof. Mario Henrique autografa poesia em plena rua do Paraiso Salvador - BA, obrigado professor


LEIAM
Mario Henrique de Santana

Quero que meus filhos leiam
Como a força do sangue na veia
Leiam de tudo um pouco
Quero meus filhos não loucos

Quero que leiam grandes autores
Como aqueles grandes pastores
Leiam os pequenos também
Quero sim, pois de onde não se espera vem

Quero que leiam ruas com gente
como aqueles nobres humanos tenentes
que gosta de viver sempre contentes

Quero que leiam o sol
Quero que leiam das estrelas até a lua
Quero que leiam a vida que continua.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Intervenção na APLB Costa dio Descobrimento

Á ASSEMBLEIA GERAL DA APLB DA COSTA DO DESCOBRIMENTO

Prezados Filiados,
Vimos por meio desta, informar a Vossas Senhorias da violação do Estatuto de nossa APLB Sindicato da Costa do Descobrimento por parte da Diretoria Estadual, nos artigos 64, 84 e 85. Ao tempo em que solicitamos dos filiados o referendo Pela manutenção do mandato da Diretoria da APLB Costa do Descobrimento iniciado em 11 de julho 2009, com término previsto para julho 2012, após processo eleitoral licito. Ressaltamos ainda, o amplo direito defesa previsto em nossa Constituição Federal de 1988, ninguém pode ser considerado culpado antes de apuração e prova.
Denunciamos ainda:
• Uma convocação de uma assembléia extraordinária sem definição do seu caráter;
• Convocação de eleição sem comissão eleitoral e sem regimento eleitoral;
• Violação de princípios estatutários;
• Ausência de relatórios comprovando irregularidades;
• Não existe no estatuto a figura de afastamento de toda diretoria;
• Assembléia convocada para recomposição de diretoria viola o estatuto da APLB;
• Violação do principio constitucional e do amplo direito de defesa.

Por todos estes vícios, apelamos a esta Assembléia Geral., para que mantenha os direitos sindicais e o mandato da diretoria da APLB Costa do Descobrimento até 2012 conforme a eleição de 2009.

Nestes Termos,

Pede Deferimento,

Porto Seguro, 14 de junho de 2010.
Abaixo assinamos

quinta-feira, 10 de junho de 2010

E AGORA?

Na década de oitenta, logo no seu início ao acabar o 2º grau nos perguntávamos E AGORA?, este texto foi nosso, inspirado no poeta Carlos Drumond de Andrade (CDA). Com uma montagem e direção toda especial do nosso querido Prof. Raimundo Melo do Instituto Central de Ensino Isaías Alves (ICEIA), que era coordenador do grupo de Teatro do ICEIA. Raimundão jogava duro com a equipe de aluunos que compunha o pessoal de teatro. Citar alguns nomes de execelentes amigo(a)s: Jorge Kompany (prof. de Dança e Coreógrafo), Soanes(professora/diretora), Gabriel(func público) Loke(professoa), Tayhane(lembro em formação hoje), Paulão (prof de Dança e Coreógrafo), Tatá e tantos outros aluno(a)s do ICEIA que passaram pela equipe de teatro. Este texto só chegou a Raimundão através da saudosa Dicla Pinto(um sorriso inesquecível). Muito obrigado gente valeu por tudo e qualquer dia a gente faz um montagem só prá divertir. Este foi escrito em Juazeiro 1982

E AGORA?

de Ademário Sena


Musica: 1 – Nos somos jovens
2 – Nos somos de família pobre
22 – Quantos tem a minha idade
23 – Quantos tem maior idade
24 – Quantos são imaturos
25 – Quantos soa conscientes do seu ``EU``

1 – Nos somos jovens
2 – Nascemos de família pobre
3 – Crescemos
72 – Nossos pais fizeram o possível. Deram o suor de suas faces, e forcas dos seus braços.
73 – Nossos pais deixaram faltar o pão ! mas escola não
74 – Fomos a escola
6 - A maioria de nos estudamos em escolas estaduais desde pequenos
7 - Fizemos um primeiro grau e concluímos agora, 2 grau
8 – Hoje surge uma grande pergunta e agora
10 – Nos jovens estudante de salvador, que durante anos freqüentamos a rede estadual de ensino.
11 – Nos jovens, pobres, oprimidos, que muitas vezes somos oprimidos por um ensino que não atende as necessidades da região
12 – Nos, jovens, quase adultos, alheio a realidade, com um ensino que não leva a lutar contra a situação injusta.
13 – Nos que o chegamos ao fim do nosso 2 Grau, ou para muitos o fim de nossa carreira estudantil.
17 – Hoje chegamos ao ultimo degrau do 2 Grau
5 – Ai começamos a rotina e a luta por um lugar ao sol
80 – De que lado fica o sol
81 – Como chegarmos ao sol
56 – No meu curso profissionalizantes os futuros professores não sabem conta de dividir somar e multiplicar
67 – E Agora, como entregar meu filhos a esses colegas
68 – Como ser aluno de aula pratica sem laboratório.
69 – Como ir ao laboratório sem material de pesquisa ou pratica
60 – Como ser celebre sem professores e sem escolas.
61 - E Agora.
62 - E como competir com alunos do Social, Vieira, Marista, Sacramentinas,
63 - Doroteias, Salesiano, Colégios Militares , etc.
65 - Como ter opinião própria, se os trabalhos são copias de livros ?
66 - Como ter opinião própria se só são aceitas as definições de livros.
67 - Como ter opinião própria sem treino de redação?
69 - Nos alunos do ICEIA, TEIXEIRA, CENTRAL, SEVERINO, EDGARD ANISIO POLIVALENTE, LUIS TARQUINIO, etc.
71- O nosso preparo mal da para assessorar qualquer coisa.
14 - Nos que
41 - Como restituir cadeiras, giz, globos, jogados fora
14 - Nos que fomos injustos com professores, diretores, serventes e colegas
15 - Nos que passamos por cima de nossos pais e amigos para chegarmos aqui
16 - Nos os ases das pescas e colas, reis das faltas e enforcamentos
26 - Quantos e quantos se colaram na sombra de outros para chegarem
27 - Quantos pensaram ajudar dando pesca Será que ajudaram
29 - Quantos fizeram família quase sempre indagantes, na duvida amanha
19 - Quantos e quantos, com mais condições que pararam sem ao menos concluir o primeiro grau
21 - Quantos perderam pai e mãe passando a ser pai e mãe de si próprio
44 - Como dizer ensino gratuito, se estamos a to instante pagando taxas e mais taxa para isso e aquilo
88 - Como falar se a minha suspensão já esta batida como infrator
46 - Como conversar com a diretora que acha todos os alunos iguais
48 - Como conversar com a orientação pedagógica se ela esta de portas fechadas
47 - Como usar o centro cívico pelêgo para resolver problemas da classe
45 - Como pedira quem mora em 7 de abril, pau da lima, Mussurunga etc., para que fique meia hora de aula seguinte
40 - Como podemos cobrar do professores a aulas não dadas que estão fazendo falta
42 - Como cobra do professores os programas que não temos
49 - Como ser bom aluno se não tenho assunto mas a provas esta marcada
43 - Como cobrar dos professores que alegam a todo instante, estarem sendo roubados pelo Estado
50 - E mas passaram-se os anos concluímos o 2 grau
28 - Quantos e quantos não importa o que importa mesmo e....
29 - E Agora o que faremos
30 - Vestibular com 2 grau não da
52 - Aula de física aplicada não tenho mas no vestibular esta lá
53 - Química não tem mas no vestibular esta lá
104 -Inglês e Francês ibidem
55 - Só que o vestibular e unificado
38 - Somos uma turma de jovens ou mais uma turma que concluiu o 2 grau e estamos agora preparados para fazer um cursinho intensivo e ai quem sabe o Vestibular Unificado
82 - E O momento de conseguirmos e descobrirmos a vocação
83 - Vocação!...
84 Vocação que bicho e esse
85 - Vocação só que no colégio na me ensinaram nada disse
86 - La só determinavam
87 - Como chegar a um lugar com ameaça
74 - Chegamos ao fim da linha mas será que chegamos ao fim da obrigação do Governo
75 - Ou chegamos ao inicio de nossa luta individual
76 - Chegamos ao ponto alto
78 - Chegamos ao momento de conseguir um lugar ao sol
77 - Chegamos ao cara a cara com a vida
31 - Emprego só com pistolão
63 - Como passar em concurso sem pistolão
32 - Emprego só de auxiliar de noa sei o que lá
33 - Emprego só com o curso de datilografia
35 - Emprego só com boa aparência
36 - Xi! - sou preto!
90 - Os anos se passaram fomos encurralado ate aqui. Daqui por diante tudo são duvidas
96 - A juventude ainda e maior em nosso estado ociosos e ansiosos de participarem da vida decentemente
91 - E necessário que se prepare para a vida
97 - E necessário que os colégios do segundo grau perca a visar de escola onde se aprende.
98 - E necessário que os colégios do seguindo grau sejam lugares onde os jovens aprendam se homens praticando com acompanhamento
925 -0 E necessário que se mostre o caminho bem seguro
93 - E necessário fazer homens e mulheres, os jovens que estão nas escolas estaduais
94 - Torna-lo digno de confiança eficazes nas suas pró
95 E necessário dar oportunidade de fala e criatividade dentro das escolas para não criar bois para a vida.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

O encontro de negras e negros do PT temas de importância foram debatidos nas mesa




Um das mesas instaladas, contou com a presença da ex-ministra Matilde Ribeiro, do ex-ministro José Dirceu, ex-ministro Edson Santos e e do Ministro da SEPPIR Eloi Ferreira. Foi explanação sobre temas relevantes do PT administração, atual do país relacionando o dialetismo de ser Partido de Trabalhadores e ser governo.
Possibilitou a negras e negros presentes no encontro nacional uma compreensão mais abrangente deste dialetismo.
Outra questões que nos chamou atenção são os agrupamentos de negras e negros em torno da militância do movimento negros: (CONEN e MNU, juventude de negras e negros) e as tedências. Reflete que a negrada esta atenada no processo geral de atividades partidárias.
Outro aspecto importante foi a fala da miistra Dilma Roussef na abertura do Encontro Nacional de Negras e Negro, assumindo compromisso com os presentes de manter as políticas públicas de ações afirmativas.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Prof. Ademario Sena, apresenta o plano nacional no encontro Nacional de Negras e negros do PT Brasilia 14 à 16/05






Realizou-se em Brasília de 14 à 16 de maio o Encontro de Negros E Negras do PT, com a participação do Ministro Eloi Ferreira da (SEPPIR) e da ex-ministra Dilma Roussef, onde discutiu-se a participação de Negras(o)s no governo federal e se fez um balanço das ações que estão sendo realizadas

domingo, 23 de maio de 2010

Encontro Nacional de Negras e Negros do PT

Ministra Dilma, fala no ewncontro ENEN PT

Ademáeio Sena apresenta o plano nacional e defende a interação dos negros e negras das secretarias estaduais de combate ao racismo na implementação



Oencontro nacional de negras e negros do PT, transcorreu em Beasília de 14 à 16 de maio, foram feitas várias reflexões no ambito do encontro com com a presença da ministra Dilma Rosef. Encontro serviu também para tirar algumas propostas de intervenção para as campanhas estaduala e nacional.

A CINAE - Conferência NMacional de Educação

Em regime de votação


Uma reunião no box


Ademáeio escrevendo na CONAE

Ocoeeida em maeco de 2010,foi importantíssimo paera os autores da educação no páis pois protagonizaram sua ansiedade e exeperiência tensionado a CONAE paea altos objetivos e conclusões. No campo da diversidade Étnico racial saimos foetalecidos operamos de forma coletiva gantindo apeovação de nossa proposta

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Trabalhando as questões de políticas publicas de ações afirmativas

A idéia é falar um pouco da experiência do movimento negro e dos trabalhos realizados nos fóruns de educação diversidade étnico sobre o plano nacional de implementação da lei 10.639/2003.
A nossa pratica de sala de aula e ação a ser tomada como intervenção na APLB Sindicato que este ano completa 25 anos de uma mesma corrente na sua direção. Está será esta a nossa forma de diálogo.
Neste momento esta, pautado na sociedade brasileira uma questão de grande relevância que sem dúvida alguma são as questões de políticas publicas de ações afirmativas um amplo debate nacional feito por vários setores: neo-conservadores, ortodoxos, liberais, políticos e seus assessores, movimento sociais, sindicais e o movimento negro(segurador deste estandarte). Quem durante anos afirmou que esta sociedade brasileira era racista e preconceituosa.
Um bloco de ações que varam, dias, meses, anos, décadas, séculos desde seqüestro em terra africanas nos imundos navios negreiro na Kalunga (Travessia) do atlântico negro, nas tentativas e fugas das degradantes senzalas, a Zumbí maior líder negro das Américas, a Dandará na enfática luta da mulher negra. Ao voto feminino, a Frente Negra, TEN (teatro experimental do negro) direitos trabalhistas, os embates com a ditadura de Vargas, a ditadura militar, os AIs, o manifesto negro do MNU, a celebração do dia nacional da consciência negra, as diretas já, lei CAO, a Constituição brasileira, a criação de núcleos negros em partidos, sindicatos e centrais sindicais, a Lei 10.639/03, o processo de políticas publicas de ações afirmativas, as cotas nas universidades, políticas de saúde para mulher negra.
Enfim uns leques de lutas seculares, que parecem de repente surgiram na sociedade brasileira conversaremos um pouco sobre isto,
Eah, Povo Negro!
Aproveito para mostra a vocês um texto de 1985 publicado no site do www.sitocecia.com